Buscar um especialista

Encontre o mais próximo de você

Área do associado

Acesse conteúdos exclusivos

Publicado em 25 de maio de 2021

Comissão de TI avaliou plataformas a serem usadas no congresso virtual

A Comissão de Tecnologia da Informação já avalizou as várias ferramentas informáticas que serão empregadas para a realização do Congresso, da eleição, da assembleia geral e da prova de título da SBQ.

Os três integrantes da Comissão, Anderson Freitas, André Wever e Thiago Busato tiveram muito trabalho primeiro para escolher os fornecedores dos serviços a serem contratados, sucessivas reuniões para explicar as necessidades específicas da SBQ e, finalmente, para fazerem testes simulando os eventos para detectar eventuais problemas e sugerir soluções.

“O trabalho de que o presidente Giancarlo Cavalli Polesello e o presidente do congresso Guydo Marques Horta Duarte nos incumbiu valeu muito a pena”, garante Anderson Freitas, pois tudo foi feito para dotar o evento de uma infraestrutura informatizada de alto nível, minimizando a possibilidade de panes e problemas, com foco voltado a facilidade de uso pelos membros associados.

No final, foram três ferramentas contratadas separadamente. Uma delas diz respeito ao processo eleitoral para escolha da futura Diretoria, garantida a checagem do eleitor, sua condição de associado adimplente e também o sigilo do voto, além da rapidez necessária ao processo de apuração.

A segunda ferramenta vai viabilizar a prova, que será feita simultaneamente em várias salas. É preciso emitir as questões de múltipla escolha, garantir o envio individualizado das respostas, permitir o trabalho dos fiscais que acompanharão todo o processo e também agilizar a correção de cada prova, para divulgação do resultado.

A ferramenta mais importante é a que garante o Congresso virtual, que terá duas salas funcionando ao mesmo tempo com apresentações diversas.
Há que permitir ao congressista passar de uma sala para outra, facilitar o envio de perguntas, que serão armazenadas e liberadas uma a uma para resposta do apresentador, quando for o caso, liberar as transparências para o telão no ritmo da apresentação e ainda permitir que quem acompanha a opção pela tradução simultânea, que estará disponível.

“Tivemos que analisar item por item”, explica Anderson, checar e atender as necessidades para apresentação dos temas livres, verificar como funcionará o sistema de verificação de inscrições, liberação de senhas, que foram analisados. Em todo o trabalho da TI, houve ainda uma preocupação constante, “que os sistemas sejam amigáveis e facilmente operáveis mesmo por quem não tem grande domínio da internet”.


É proibida a reprodução total ou parcial de textos, imagens e ilustrações, por qualquer meio, sem que haja prévia e expressa autorização pela Sociedade Brasileira do Quadril, sob pena de responder civil e criminalmente.

  • Notícias gerais