Eduardo Abreu, de Manaus, acha que pode ter o recorde de operação de quadril de idoso, 106 anos

Agradecido pelo sucesso da operação de fixação de quadril feita pelo associado Eduardo Lima de Abreu, um paciente de 106 anos o procurou para entregar “um presentinho de agradecimento”, um chaveiro do seu clube preferido de futebol que, por sinal, é rival do clube pelo qual torce o cirurgião. 

Eduardo Abreu acredita que, ao operar e com sucesso o macróbio, passou a deter o recorde de paciente mais idoso entre os sócios da SBQ, embora já haja registro de várias cirurgias de quadril em pacientes com mais de cem anos.

O ortopedista, que se orgulha de ter feito especialização com o atual presidente da SBQ, Giancarlo Polesello, na Santa Casa de São Paulo, diz que o número de cirurgias de pacientes com problemas no quadril tem crescido tanto na Amazônia, que os hospitais chegaram a ter problemas de desabastecimento de material, principalmente para casos em que é necessária a prótese total. “Não são só traumas que atendemos, o envelhecimento da população acaba aumentando muito a pressão nos hospitais”, diz ele, que não vê problema maior no atendimento de paciente muito idoso.

No hospital em que opera, e que estando numa cidade maior acaba atraindo pacientes de toda a região circunvizinha, Eduardo Abreu calcula que as operações de quadril foram milhares nos últimos 10 anos. Numa rápida avaliação, explica que a cada ano o hospital responde por 7.000 cirurgias, quase 90% das quais são dos membros inferiores e dessas, “pelo menos 50% são cirurgias de quadril”. 

“Como a qualidade de vida tem melhorado muito, entretanto, o paciente mesmo idoso chega ao consultório com boas condições de saúde”, diz ele, que tem o exemplo na própria família: “minha mãe, com 62 anos, correu uma meia-maratona sem nenhum problema”, explica.

Localização & Contato


 
 
[contact-form-7 id="1932" title="Contato"]
Itarget Tecnologia